Eldorado/Estadão – Presidente da Abrass diz que a semente de soja brasileira é confiável

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Foto arquivo divulgação: Gladir Tomazzelli, presidente da Abrass com Tejon.

Leiam abaixo a entrevista que fiz com o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (Abrass), Gladir Tomazzelli, que está, inclusive, visitando São Paulo. A soja é o maior item do agronegócio brasileiro e o que a soja tem a ver com a cidade? Tudo, porque ela está presente em tudo que a gente encontra aqui em nosso supermercado.

Tejon: Eu gostaria de perguntar ao Gladir Tomazzelli, da Abrass, da importância da semente dentro dessa cultura gigantesca, hoje a maior do país, da importância da semente produzida aqui no Brasil. Ela é brasileira, não é Gladir?

Gladir: “Eu gostaria de dizer, professor, que as vezes uma pessoa vai ao supermercado comprar uma carne, comprar uma dúzia de ovos, comprar um frango e as vezes muitas pessoas sabem que esses alimentos são produzidos com a produção agrícola, e com a soja, com a ração que é fabricada com a produção de soja, mas dificilmente as pessoas estendem esse pensamento até chegar na semente, que é onde tudo começa, não é? Então nós fazemos parte de uma cadeia de produtores, agricultores e que hoje pela evolução, pela necessidade de produzir mais, de conseguir colocar no mercado alimentos com custos acessíveis à população, é necessário que haja uma garantia para o agricultor de que ele possa produzir, que ele possa aumentar a produtividade e que o país possa aumentar a produção. Por isso existe essa organização, de papéis diferentes, como é o caso da produção de sementes. E a produção de sementes tem legalidade, tem legislação, atende a critérios, e normativas e é totalmente diferente, depois da colheita, ela é totalmente diferente de produção de soja para a indústria, ou digamos assim, da indústria de alimentos, porque é um grão com qualidade que sai da lavoura e se transforma em uma semente que vai voltar a produzir para voltar para a mesa do consumidor.”  

Tejon: Uma coisa que eu quero ressaltar muito aqui para os nossos ouvintes da cidade, recentemente o Brasil teve crise com relação a chegada de fertilizantes, dependência de fertilizantes, dependência de princípios ativos no setor da química, e a semente é vital e fundamental. Estamos seguro com a semente que gera tudo e começa na semente sempre. A semente brasileira é confiável?

Gladir: “Sim, professor, podemos certamente dizer que a semente brasileira é confiável, tanto que você vê nos números de crescimento da sojicultora brasileira e o responsável para levar a tecnologia, a biotecnologia, a proteção contra doenças, pragas invasoras, evolução técnica, evolução genética, aumento de produtividade, o responsável é a semente. Então por isso que é necessário que haja uma cadeia organizada, um setor organizado e que hoje não é apenas mais chamado como extensão da produção agrícola. Ele realmente é uma indústria, chamado de indústria de semente. E para a população é importante que se diga simplesmente o seguinte: é necessário que haja a terra, a luz, a umidade, e a semente. É possível colher sem a fertilidade, colhe-se muito pouco, colhe-se menos, não se desenvolve, mas a semente é o insumo e nós podemos considerar como o ativo mais importante dentro do contexto da produção agrícola”.

Tejon: Gladir Tomazzelli, presidente da Abrass, eu não tenho dúvida nenhuma. Isso que nós temos no Brasil de agronegócio é dependente de semente. Então sementes do Brasil são as coisas mais importantes que temos e com sustentabilidade e com todo o meio ambiente que vocês bem cuidam. Gladir, muito obrigado.

Gladir: “Obrigado professor Tejon pela oportunidade, sempre à disposição.”

Fonte: José Luiz Tejon Eldorado/Estadão